Minerva Foods lidera “pecuária sustentável”
Redação
09.09.2021

Minerva Foods, líder em exportação de carne bovina na América do Sul e uma das maiores empresas na produção e comercialização de carne in natura e seus derivados na região – além de também atuar no processamento de carnes –, está convicta de que o futuro sustentável da alimentação no planeta passa pelo enfrentamento das mudanças climáticas e pelo combate ao desmatamento ilegal.

Por isso, a empresa anunciou investimentos de R$ 1,5 bilhão até 2035 em sete objetivos que envolvem práticas sustentáveis na cadeia de carnes e proteção de ecossistemas. Esses objetivos estão atrelados à meta principal, que é alcançar a neutralidade de carbono dentro desse período, 15 anos antes do previsto no Acordo de Paris.

As novas metas se juntam a conquistas já realizadas, como ser a primeira empresa do setor na América do Sul certificada com 100% de energia renovável e a primeira do setor no Brasil a se tornar carbono neutro no escopo 2, que envolve as emissões provenientes da energia utilizada pela própria companhia. A Minerva Foods é pioneira ao monitorar geograficamente 100% de suas compras em todas as regiões de operação, na Amazônia, Cerrado, Pantanal e Mata Atlântica. Em reconhecimento às boas práticas socioambientais, a empresa é a única do setor a ser financiada pelo International Finance Corporation (IFC), pertencente ao Banco Mundial.

O plano para 2035 envolve uma série de ações, tanto em solo brasileiro quanto nos demais países da América do Sul em que a empresa atua – Paraguai, Colômbia, Uruguai e Argentina. “São novos passos em um processo que vem amadurecendo dentro da empresa desde 2009, quando assinamos compromissos públicos contra desmatamento na Amazônia”, lembrou o diretor de Sustentabilidade da Minerva Foods, Taciano Custódio, durante a conferência Brasil Verde, promovida pelo Estadão entre 25 e 27 de agosto.

É essa consistência de longo prazo que levou a Minerva Foods a conquistar os melhores resultados entre os grandes competidores do setor na auditoria realizada pelo Ministério Público Federal (MPF), o mais importante acordo público contra o desmatamento na Amazônia, ressaltou o executivo. “Sustentabilidade, dentro da empresa, é um hub de integração de diferentes áreas, que trabalham em conjunto pelos melhores padrões”, ele descreveu.

De problema a solução

Para alcançar as metas, o engajamento da cadeia de produtores é essencial. A Minerva Foods é referência no controle sobre os fornecedores diretos – aqueles que entregam os animais à empresa. Assim como ocorre com todas as demais grandes corporações do setor, no entanto, a dificuldade maior está nos fornecedores indiretos, situados no início da cadeia – aqueles produtores que fornecem os animais para os fornecedores diretos. Trata-se de uma rede extremamente complexa e capilarizada, já que o País tem milhões de propriedades produzindo gado.

As soluções nas quais a Minerva Foods vem apostando são fortemente baseadas em tecnologia. Pioneira nesse avanço, em 2020 a empresa iniciou testes na Amazônia, com resultados promissores, do Visipec, sistema desenvolvido pela organização não governamental (ONG) National Wildlife Federation (NWF) em parceria com a Universidade de Wisconsin-Madison, nos Estados Unidos. Trata-se de uma ferramenta que utiliza recursos de inteligência artificial e big data para mapear os riscos de que um animal seja comprado pela empresa depois de ter passado, em algum momento de sua vida, por áreas desmatadas ilegalmente, embargadas pelos órgãos ambientais ou que empreguem trabalho análogo à escravidão.

A ferramenta se baseia nas informações públicas do Guia de Trânsito Animal (GTA), documento exigido pelo Ministério da Agricultura para o transporte de animais no País, e nas ligações de origem e destino que podem ser feitas a partir do cruzamento com o Cadastro Ambiental Rural (CAR). Para que a tecnologia seja utilizada em todo o potencial, no entanto, é essencial o acesso aos GTAs em sua totalidade, algo que não ocorre hoje e é uma reivindicação do setor.

Outra estratégia é disponibilizar aos fornecedores diretos a mesma tecnologia de monitoramento geoespacial que a Minerva Foods utiliza para avaliar as compras. “Por meio da transferência de tecnologia, nossos fornecedores poderão avaliar os riscos de suas compras, ampliando a conformidade e permitindo acesso e posicionamento em mercados de maior valor agregado”, explica Custódio. A possibilidade está se materializando pelo SMGeo Prospec, aplicativo desenvolvido pela Niceplanet Geotecnologia, que proporciona acesso facilitado, na palma da mão, a recursos como imagens de satélite e listas públicas do Ibama e trabalho escravo.

“Temos a responsabilidade de levar as melhores práticas para o maior número de produtores, alavancando o posicionamento comercial da pecuária sul-americana e fornecendo alimentos de qualidade, com segurança e sustentabilidade para mais de 100 países”, descreve Custódio.

Fonte: O Estado de S. Paulo