Minerva Foods mira emissões indiretas em plano de descarbonização
MMDA
05.13.2021

Maior exportadora de carne bovina da América do Sul, a Minerva Foods pretende zerar suas emissões líquidas de carbono até 2035, com iniciativas que deverão exigir investimentos de R$ 1,5 bilhão, segundo o Valor.

Parte central da estratégia da Minerva para alcançar o objetivo é monitorar o desmate em sua cadeia de fornecimento e erradicação o desmatamento ilegal até 2030. Para isso, a companhia avançará na rastreabilidade de todo o gado que abate no continente até 2030, incluindo os animais que passam por fornecedores indiretos – que vendem para as fazendas onde há a engorda final.

Os fornecedores de gado da Minerva também receberão apoio para reduzirem suas emissões. A companhia selecionará metade de seus fornecedores para participarem do Novo Programa de Baixa Emissão de Carbono até 2030, pelo qual terão suporte para verificar as emissões nas fazendas e para restaurar vegetação nativa. O programa prevê ainda pagar os fornecedores pela adoção de práticas produtivas sustentáveis.

Minerva pretende reduzir emissões diretas também

A meta de neutralidade de carbono da Minerva também deverá ser alcançada por meio da redução das emissões de suas próprias operações. No que se refere às emissões das operações diretas, a companhia quer reduzir a intensidade das emissões de gases de efeito estufa em 30% até 2030, com base na pegada das emissões de 2020.

A empresa não apresentou meta para o desmate legal. “Reconhecemos a soberania dos países onde operamos. Cada país tem seu momento de maturidade “, afirmou Taciano Custódio, diretor de sustentabilidade da Minerva, em entrevista coletiva.