Minerva Foods segue com liderança dos envios de carne bovina na América do Sul
admin
05.14.2018

No primeiro trimestre houve crescimento das receitas bruta e líquida

A Minerva Foods (Barretos/SP) anuncia os resultados referentes ao primeiro trimestre de 2018 (1T18). Entre os destaques do período, a companhia atingiu 22% de participação nas exportações de carne bovina da América do Sul, mantendo-se na liderança do setor no continente.

Na região, outro ponto positivo é que, com a conclusão do sistema operacional na Argentina, o processo de integração das novas unidades adquiridas no Mercosul avançou para o estágio de integração das melhores práticas operacionais e comerciais e estimulou o surgimento de oportunidades comerciais que têm sido atendidas pelos canais de distribuições, tradings e escritórios internacionais da empresa.

Esta posição privilegiada favorece a organização manter o ritmo de crescimento e os novos negócios em um cenário de perspectiva de abertura de novos mercados para os países do continente nos próximos meses, como o Japão para o Uruguai, a Indonésia e a reabertura dos Estados Unidos para o Brasil e a abertura dos EUA para a Argentina.

Números do período. A receita bruta da Minerva no 1T18 totalizou R$ 3,75 bilhões e, no acumulado dos últimos 12 meses, registrou novo recorde ao alcançar R$ 14,43 bilhões (43% superior a igual período do ano anterior). Da receita bruta do período, destaque também para o fato de que 46% (R$ 1,7 bilhão) foi gerado da Divisão Indústria Brasil; 40% (R$ 1,5 bilhão) pela Divisão Indústria Internacional; e os outros 14% (530 milhões) pela Divisão Trading, “confirmando a posição da companhia como a plataforma de produção de carne bovina mais diversificada do continente” – divulga a companhia.

exportacao_reproducao_3

As exportações responderam por 63% da receita, um aumento (contra 57% no 4T17 e 60% no 1T17) explicado pelo impacto sazonal de menor demanda por carne in natura no mercado interno neste período (Foto: reprodução)

A receita líquida no 1T18 atingiu R$ 3,53 bilhões e a margem bruta ficou em 16,4%. No acumulado dos últimos 12 meses, a receita líquida atingiu R$ 13,5 bilhões (42,7% superior a igual período do ano anterior). “Mas, considerando-se as receitas proforma das novas unidades adquiridas no Mercosul, a receita acumulada nos últimos 12 meses foi de aproximadamente R$ 14,5 bilhões, um volume em linha com o guidance anunciado pela companhia para os 12 meses a partir de julho de 2017, no intervalo de R$ 13 bilhões a R$ 14,4 bilhões; portanto, com base nesses resultados, a Minerva reafirma que este guidance está mantido”, destaca a empresa.

O EBITDA ajustado no 1T18 totalizou R$ 250 milhões, 44,3% superior ao do 1T17, com a margem EBITDA tendo atingido 8,1%. Nos últimos 12 meses, o EBITDA ajustado totalizou R$ 1,3 bilhão, um crescimento de 39,4% sobre o EBITDA ajustado acumulado no mesmo período de 2017. No 1T18, o fluxo de caixa das atividades operacionais atingiu R$ 187,6 milhões e o fluxo de caixa livre ao acionista foi de R$ 51,6 milhões; em 31/3/2018, a posição de caixa era de R$ 3,9 bilhões. A alavancagem financeira ao final do primeiro trimestre, medida por meio do múltiplo dívida líquida/EBITDA ajustado dos últimos 12 meses, ficou em 4,5 vezes.

Perspectivas positivas para América do Sul. Para o presidente da Minerva, Fernando Galletti de Queiroz, o primeiro trimestre do ano foi positivo para os exportadores de carne bovina baseados na América do Sul, sobretudo pelas excelentes oportunidades comerciais geradas pela continuidade do desequilíbrio entre a oferta mundial do produto e a crescente demanda internacional, puxada principalmente pelo forte consumo da Ásia e do Oriente Médio.

No 1T18, em comparação com o mesmo período do ano passado, o executivo ressalta que vários países aumentaram o volume de exportações, como o Brasil (+ 21%), o Uruguai (+ 16%) e a Argentina (+ 56%).

minerva_fernando galletti de queiroz_reproducao

“No total, a América do Sul tem sido responsável por praticamente um terço das exportações mundiais de carne bovina e, neste cenário, a Minerva foi responsável por aproximadamente 22% deste volume, mantendo a liderança regional na exportação do produto”, informa Queiroz (Foto: reprodução)

Nos mercados internos da região, Queiroz informa que a Minerva continua a observar um avanço no consumo de carne bovina no Brasil, Argentina, Paraguai, Colômbia e Chile, em linha com as perspectivas de melhorias macroeconômicas destes países. E, na empresa, ele destaca a conclusão do processo de integração operacional das unidades adquiridas ano passado no Mercosul e que, após isso, a companhia passa a dedicar totalmente a atenção para a desalavancagem financeira, pautando suas decisões estratégicas ao controle do capital de giro das operações.

“Ao longo dos últimos dez anos, a Minerva cresceu e ampliou a sua plataforma de produção na América do Sul, tornando-se a empresa mais diversificada que existe, com destaque para um grande salto em 2017 com a aquisição das novas plantas no Mercosul, que gerou um acréscimo de mais de 50% na capacidade produtiva, toda ela fora do Brasil, consolidando a companhia como uma organização internacional, com mais da sua capacidade produtiva instalada fora do Brasil”, acrescenta o executivo.

Fonte: feed&food.