Minerva seguirá atendendo demanda chinesa por meio de subsidiária após “vaca louca”
Redação
09.09.2021

Minerva informou que continuará atendendo a demanda chinesa por meio de quatro plantas de abate localizadas no Uruguai e Argentina, sem comprometer a participação de mercado e relacionamento com clientes. O anúncio vem após o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) notificar, no sábado, a suspensão temporária das exportações de carne bovina do Brasil para a China após serem identificados dois casos de Encefalopatia Espongiforme Bovina Atípica, conhecida como “mal da vaca louca” em Mato Grosso e Minas Gerais.

“A Minerva acredita que, tal qual em períodos anteriores, a suspensão das exportações brasileiras é temporária e deverá ser retomada em um curto espaço de tempo”, disse a empresa em comunicado. No Brasil, a Minerva realiza exportações para a China por meio das unidades de Barretos (SP), Palmeiras de Goiás (GO) e Rolim de Moura (RO).

A companhia argumenta que desde 2015, a Organização Mundial de Saúde Animal (OIE) exclui a ocorrência de casos de EEB atípica para efeitos do reconhecimento do status oficial de risco do país, sendo que a doença pode ocorrer de forma espontânea e esporádica em todas as populações de bovinos do mundo.

Fonte: Agência Estado