Acelere a recria e antecipe a idade ao abate.
Bela Magrela
21.10.21

A estratégia chamada de “sequestro de bezerros” consiste na transferência dos animais (bezerros) do sistema de pastagem para o sistema de confinamento.

Em linhas gerais, é uma estratégia para encurtar a recria desses animais, através do maior ganho médio diário (GMD), e, consequentemente, antecipar a idade ao abate. Esse manejo é muito utilizado em períodos de transição entre o período seco e o período das chuvas.

Geralmente, essa transição de método de pasto para confinamento acontece no fim da seca e no início das águas. O principal objetivo é recuperar a pastagem da seca e continuar com um crescimento do animal de forma saudável, focando sempre em uma boa engorda.

A duração desse confinamento é entre 45 dias e 90 dias.

Além da melhora da eficiência produtiva desses animais, a recuperação das pastagens através da menor pressão de pastejo que esses animais causariam é um dos benefícios a ser destacado.

 

Como funciona o sequestro de bezerros?

 De forma resumida, o sequestro de bezerros é um manejo intensificado, onde os animais são submetidos a esse sistema com um duplo objetivo: retirar a pressão de pastejo e aumentar o GMD dos animais através da disposição de dietas mais ricas em proteína e energia.

Como definir a dieta dos bezerros “sequestrados”?

Importante destacar que o objetivo desse manejo é diretamente atrelado ao objetivo do produtor.

Dito isso, a dieta é um dos pontos que precisam de mais atenção do produtor, visto que é variável mediante ao sistema em que esses animais serão inseridos após esse manejo.

Se o objetivo é a engorda desses animais em pasto, após o sequestro, o ideal é disponibilizar aos bezerros uma dieta que simule um pasto de alta qualidade, vinculada a uma pequena suplementação energética, uma vez que os ganhos com o manejo do sequestro poderiam ser perdidos após a volta desses animais no sistema de pastejo, caso o produtor optasse por uma dieta mais energética.

Entretanto, quando o objetivo for confinar esses animais até o momento do abate, é recomendado a oferta de uma dieta mais energética, com uma proporção maior de concentrados em relação ao volumoso, visto que a troca de sistemas não irá ocorrer.

 

Mas e os custos para a implementação do sequestro de bezerros?

Evidentemente, os custos de produção nesse sistema são maiores, visto que há a necessidade de maior infraestrutura nas propriedades.

Paralelo a isso, o produtor também deve analisar a logística e disponibilidade dos insumos que serão utilizados na composição da dieta na região em que está a propriedade, para que assim possa analisar a viabilidade de implementação da estratégia.

Outro ponto a ser considerado é a seleção dos animais para esse manejo. Que tipo de animal responderia melhor ao sequestro?

Animais mais “sentidos”, ou seja, com peso menor que a média dos animais da propriedade ou animais com maior capacidade de desempenho, que apresentam peso maior que a média dos animais do lote?

A resposta certa está diretamente relacionada às expectativas do produtor com relação ao manejo.

A escolha de animais que não estão desempenhando tão bem trará maior padronização para o rebanho.

Por outro lado, escolher bovinos que expressam maior eficiência produtiva possibilita a exploração do potencial dos animais com maior capacidade de desempenho.

Dessa maneira, a recria mais rápida e idade ao abate menor resultariam na produção de animais mais jovens e com qualidade de carcaças superior aos animais que são submetidos única e exclusivamente a engorda à pasto, melhorando a sustentabilidade do sistema como um todo.