Home  »    »  Da gestação à amamentação: importância da carne vermelha para a mulher
Da gestação à amamentação: importância da carne vermelha para a mulher

Da gestação à amamentação: importância da carne vermelha para a mulher

18/01/2023

Compartilhar em:

Da gestação à amamentação: importância da carne vermelha para a mulher

A alimentação da mulher durante a gestação e a amamentação deve ter alguns cuidados para que se mantenham bons níveis de nutrientes, tanto para mãe quanto para o bebê. Apesar de muitos casos exigirem suplementação, é através de uma dieta balanceada que se atingem os melhores níveis de absorção, e isso inclui a ingestão de carne vermelha.

Durante o terceiro trimestre de gestação a demanda de ferro aumenta consideravelmente, pois é durante esse período que o bebê faz seu estoque do nutriente para os primeiros seis meses de vida, quando ainda vive apenas do leite materno e a introdução alimentar não iniciou.

Portanto, é muito importante que se tenha um controle da ferritina nessa fase – que é um exame de sangue – e caprichar na ingestão de alimentos ricos em ferro. Os de origem vegetal são as leguminosas e os folhosos verde-escuros, que preferencialmente devem ser consumidos com alguma fonte de vitamina C junto (como as frutas cítricas, por exemplo).

Já as fontes de origem animal são as carnes, especialmente as vermelhas, que são ricas de um ferro de boa biodisponibilidade, ou seja, que são de fácil absorção se comparadas ao ferro de origem vegetal.

Outra vantagem do consumo de carne no período de gestação é a atuação das vitaminas do complexo B, em especial a B9, que contribui para a formação do tubo neural, e as vitaminas B12 e B6, que também são relevantes e ajudam inclusive na prevenção de depressão pós-parto.

Como fica a alimentação durante a amamentação?

Durante a gestação, a alimentação é importante tanto para a mãe quanto para o feto. No entanto, na fase de amamentação, ela acaba sendo muito mais importante para a mãe.

Conforme explica a nutricionista Erica Kowarick, o corpo da mulher foi feito para produzir o melhor leite possível para o bebê, independentemente da alimentação materna. Porém, para produzir esse leite, essa mãe vai gastar muita energia e muitos nutrientes.

Por esse motivo é essencial que ela coma bem para garantir sua própria saúde. Dessa forma, ela evita a queda de cabelo, a indisposição e outros problemas que podem ocorrer nesse período.

A alimentação da lactante deve ser rica em frutas, verduras, legumes, carnes de boa qualidade – vermelha, peixe, frango – ovos, gorduras boas (como o azeite de oliva), e evitar ao máximo o consumo de alimentos ultraprocessados, farinhas e açúcar.

Nessa fase a rotina não é tão estabelecida e a mulher precisará descansar em momentos que não precisaria. Portanto, o ideal é comer quando sentir fome, mas sempre uma comida de verdade!