Voltar ao topo

Ecoeficiência

Nenhum resultado de indicadores com

Confira a sua palavra de busca ou entre em outra categoria.

Voltar para Central de Indicadores

placeholderCont resultados de indicadores para "placeholderBusca"

Filtrando:

Consumo total de energia elétrica

GRI 302-1 GRI 302-2 GRI 302-3 GRI 302-4 ODS 07 SASB FB-MP-130a.1 SASB FB-MP-130a.2 SASB FB-MP-130a.3 SASB FB-MP-130a.4
2019 2020 2021
Consumo de energia elétrica (GJ) 1.255.554,36 1.221.337,62 1.245.520,59
Consumo de energia elétrica Brasil (GJ) 589.794,97 563.637,67 536.348,14
Consumo de energia elétrica Argentina (GJ) 266.260,62 287.888,86 224.554,59
Consumo de energia elétrica Colômbia (GJ) 44.969,88 58.134,40 88.841,21
Consumo de energia elétrica Paraguai (GJ) 229.943,30 205.355,05 228.031,35
Consumo de energia elétrica Uruguai (GJ) 124.585,59 106.321,64 167.745,30

Contexto

As unidades da Minerva Foods realizam a gestão da eficiência energética diariamente e tratam possíveis desvios de performance em comitês dedicados ao tema. Em 2021, as operações na unidade de Canelones (UY) foram retomadas e a unidade de Bucaramanga (COL), adquirida ao final de 2020, teve suas operações iniciadas, o que resultou em um consumo maior de energia. Entretanto, 100% da energia elétrica utilizada nas operações da Companhia em todos os países de atuação na América do Sul é proveniente de fontes renováveis – hidrelétrica e eólicas, pouco poluidoras e zero emissoras de carbono.
A Companhia adquire certificados de energia renovável para comprovar a origem da energia utilizada e, devido a essa prática, é a primeira empresa a obter o Selo Energia Renovável emitido pelo Instituto Totum em parceria com a Associação Brasileira de Energia Eólica (ABEEólica) e a Associação Brasileira de Energia Limpa (Abragel) e que assegura além da origem renovável, que as usinas geradoras também adotam práticas diferenciadas nos aspectos sociais e de relacionamento com as comunidades. Ademais, a unidade de Bucaramanga (COL), possui 1.471 painéis solares instalados na área dos currais, produzindo cerca de 1.964,8 kW/h de energia renovável e reduzindo a emissão de 204,75 toneladas de CO2 anualmente.

Geração de energia elétrica (GJ)

GRI 302-1 ODS 07 SASB FB-MP-130a.1
2019 2020 2021
Total de energia elétrica gerada (GJ) - - 2.459,37

Contexto

A Minerva Foods possui fonte de geração de energia elétrica na unidade de Bucaramanga, na Colômbia, onde há 1.471 painéis solares instalados na área dos currais, produzindo energia renovável e reduzindo a emissão de 204,75 toneladas de CO2 anualmente. A unidade foi adquirida ao final de 2020 e a geração de energia passou a ser contabilizada em 2021.

Intensidade energética

GRI 302-3 ODS 07 SASB FB-MP-130a.1
2019 2020 2021
Intensidade energética (GJ/ton produto acabado) - 0,89 0,80

Contexto

O indicador de intensidade energética é calculado utilizando como base o total de energia elétrica consumida e a quantidade produzida acabada (toneladas) no ano base. Ele indica quanto de energia elétrica foi utilizada na produção de cada tonelada de produto acabado, considerando a produção de carne com e sem osso, produtos processados, subprodutos do abate, biodiesel e couro.

Consumo total de água

GRI 303-3 GRI 303-5 ODS 06 SASB FB-MP-140a.1
2019 2020 2021
Consumo de água (m³) 12.936.334,31 11.408.198,59 13.561.551,46
Fonte superficial (m³) 10.295.232,40 9.115.509,05 10.001.677,40
Fonte subterrânera (m³) 2.236.788,91 1.975.663,54 3.135.437,02
Rede Pública (m³) 404.313,00 317.026,00 424.437,00

Contexto

A gestão dos recursos hídricos nas operações é parte essencial da gestão da produção da Minerva Foods, que busca, ainda, ampliar processos como reúso, tratamento de efluentes e reduções do consumo de água. O uso e tratamento dos recursos hídricos estão de acordo com os padrões legais em todas as nossas operações e pelas licenças e outorgas obtidas. A matriz de captação das unidades varia entre captação superficial (rios e lagoas) e captação subterrânea (poços artesianos). Entre 2020 e 2021 houve um aumento no consumo de água devido ao início das operações da unidade de Bucaramanga (COL) e a retomada das operações em Canelones (UY). Outro fator que influenciou o aumento, foi a expansão dos volumes de abate e produção na Argentina e no Paraguai.

Consumo total de água em áreas de estresse hídrico

GRI 303-3 GRI 303-5 ODS 06 SASB FB-MP-140a.1 SASB FB-MP-140a.2
2019 2020 2021
Consumo de água (m³) 12.936.334,31 11.408.198,59 13.561.551,42
Áreas de estresse hídrido (m³) 1.183.484,00 982.963,00 208.000,16
% captação em áreas de estresse hídrico 9,1% 8,6% 1,5%

Contexto

A gestão dos recursos hídricos nas operações é parte essencial da gestão da produção da Minerva Foods, que busca, ainda, ampliar processos como reúso, tratamento de efluentes e reduções do consumo de água. O uso e tratamento dos recursos hídricos estão de acordo com os padrões legais em todas as nossas operações e pelas licenças e outorgas obtidas. A matriz de captação das unidades varia entre captação superficial (rios e lagoas) e captação subterrânea (poços artesianos). A Minerva Foods tem trabalhado para diminuir a captação de água em áreas consideradas com risco de estresse hídrico e, entre 2020 e 2021, investiu na construção de poços profundos na unidade de Barretos, reduzindo a captação superficial no local. Esse investimento trouxe redução de 78,8% no volume captado em áreas de risco.

Consumo total de água por país

GRI 303-3 GRI 303-5 ODS 06 SASB FB-MP-140a.1 SASB FB-MP-140a.2
2019 2020 2021
Consumo de água (m³) 12.936.334,31 11.408.198,59 13.561.551,42
Consumo de água Brasil (m³) 5.112.464,29 4.493.368,59 4.159.789,42
Consumo de água Argentina (m³) 4.526.809,00 3.860.696,00 4.998.365,00
Consumo de água Colômbia (m³) 278.144,00 349.257,00 606.201,00
Consumo de água Paraguai (m³) 1.586.756,00 1.417.970,00 1.727.243,00
Consumo de água Uruguai (m³) 1.432.161,00 1.286.907,00 2.069.953,00

Contexto

A gestão dos recursos hídricos nas operações é parte essencial da gestão da produção da Minerva Foods, que busca, ainda, ampliar processos como reúso, tratamento de efluentes e reduções do consumo de água. O uso e tratamento dos recursos hídricos estão de acordo com os padrões legais em todas as nossas operações e pelas licenças e outorgas obtidas. A matriz de captação das unidades varia entre captação superficial (rios e lagoas) e captação subterrânea (poços artesianos). Entre 2020 e 2021 houve um aumento no consumo de água devido ao início das operações da unidade de Bucaramanga (COL) e a retomada das operações em Canelones (UY). Outro fator que influenciou o aumento, foi a expansão dos volumes de abate e produção na Argentina e no Paraguai.

Descarte de água

GRI 303-4 ODS 06 SASB FB-MP-140a.1
2019 2020 2021
Descarte de água (m³) - 9.384.606,00 11.746.882,56
Fonte superficial (m³) - 9.023.856,00 8.717.578,23
Rede Pública (m³) - 360.750,00 2.972.473,33
Outras fontes (m³) - - 56.831,00

Contexto

Nossos efluentes são tratados e descartados de acordo com diretrizes dos órgãos reguladores e do licenciamento obtido e com os Padrões de Desempenho da IFC. Mantemos estações de tratamento de efluentes (ETEs) próprias em todas as unidades industriais. Em 2021, diversos investimentos foram realizados para aprimoramento dos sistemas de tratamento, com destaque para a construção do sistema de tratamento de efluentes com tecnologia de lodo ativado na unidade de José Bonifácio/SP, que contribuirá para redução das emissões de metano no processo de tratamento de efluentes, nossa principal fonte de emissão para escopo 1. Estamos investindo, ainda, em métodos mais sustentáveis de disposição desses efluentes, como sistemas de fertirrigação.
Nos sistemas de fertirrigação, o efluente tratado é transportado para propriedades rurais vizinhas das operações onde é utilizado para irrigação de pastagens. Dentre os diversos benefícios ambientais, está a preservação de corpos d’água e a diminuição do uso de fertilizantes a base de nitrogênio que são emissores de gases do efeito estufa.
Entre 2020 e 2021 houve um aumento no consumo de água e, consequente no volume de água descartado, devido ao início das operações da unidade de Bucaramanga (COL) e a retomada das operações em Canelones (UY). Outro fator que influenciou o aumento, foi a expansão dos volumes de abate e produção na Argentina e no Paraguai.

Descarte de água em áreas de estresse hídrico

GRI 303-4 ODS 06 SASB FB-MP-140a.1 SASB FB-MP-140a.2
2019 2020 2021
Descarte de água (m³) - 9.384.606,00 11.746.882,56
Áreas de estresse hídrido (m³) - 1.165.560,00 176.884,70
% descarte em áreas de estresse hídrico - 12,4% 1,5%

Contexto

Nossos efluentes são tratados e descartados de acordo com diretrizes dos órgãos reguladores e do licenciamento obtido e com os Padrões de Desempenho da IFC. Mantemos estações de tratamento de efluentes (ETEs) próprias em todas as unidades industriais. Em 2021, diversos investimentos foram realizados para aprimoramento dos sistemas de tratamento, com destaque para a construção do sistema de tratamento de efluentes com tecnologia de lodo ativado na unidade de José Bonifácio/SP, que contribuirá para redução das emissões de metano no processo de tratamento de efluentes, nossa principal fonte de emissão para escopo 1. Estamos investindo, ainda, em métodos mais sustentáveis de disposição desses efluentes, como sistemas de fertirrigação.
Nos sistemas de fertirrigação, o efluente tratado é transportado para propriedades rurais vizinhas das operações onde é utilizado para irrigação de pastagens. Dentre os diversos benefícios ambientais, está a preservação de corpos d’água e a diminuição do uso de fertilizantes a base de nitrogênio que são emissores de gases do efeito estufa.
Entre 2020 e 2021 houve um aumento no consumo de água e, consequente no volume de água descartado, devido ao início das operações da unidade de Bucaramanga (COL) e a retomada das operações em Canelones (UY). Outro fator que influenciou o aumento, foi a expansão dos volumes de abate e produção na Argentina e no Paraguai.

Descarte total de água

GRI 303-4 ODS 06 SASB FB-MP-140a.1 SASB FB-MP-140a.2
2019 2020 2021
Descarte de água (m³) - 9.384.606,00 11.950.966,06
Descarte de água Brasil (m³) - 3.788.640,00 4.481.647,76
Descarte de água Argentina (m³) - 3.088.557,00 4.248.610,25
Descarte de água Colômbia (m³) - 279.405,00 515.270,85
Descarte de água Paraguai (m³) - 1.134.376,00 1.468.156,80
Descarte de água Uruguai (m³) - 1.093.628,00 1.237.280,40

Contexto

Nossos efluentes são tratados e descartados de acordo com diretrizes dos órgãos reguladores e do licenciamento obtido e com os Padrões de Desempenho da IFC. Mantemos estações de tratamento de efluentes (ETEs) próprias em todas as unidades industriais. Em 2021, diversos investimentos foram realizados para aprimoramento dos sistemas de tratamento, com destaque para a construção do sistema de tratamento de efluentes com tecnologia de lodo ativado na unidade de José Bonifácio/SP, que contribuirá para redução das emissões de metano no processo de tratamento de efluentes, nossa principal fonte de emissão para escopo 1. Estamos investindo, ainda, em métodos mais sustentáveis de disposição desses efluentes, como sistemas de fertirrigação.
Nos sistemas de fertirrigação, o efluente tratado é transportado para propriedades rurais vizinhas das operações onde é utilizado para irrigação de pastagens. Dentre os diversos benefícios ambientais, está a preservação de corpos d’água e a diminuição do uso de fertilizantes a base de nitrogênio que são emissores de gases do efeito estufa.
Entre 2020 e 2021 houve um aumento no consumo de água e, consequente no volume de água descartado, devido ao início das operações da unidade de Bucaramanga (COL) e a retomada das operações em Canelones (UY). Outro fator que influenciou o aumento, foi a expansão dos volumes de abate e produção na Argentina e no Paraguai.

Geração de resíduos

GRI 306-1 GRI 306-3 ODS 12
2019 2020 2021
Total de resíduos gerados (toneladas) 72.159,94 87.534,35 103.044,78
Resíduos perigosos (t) 18.009,37 29.888,41 31,76
Resíduos não periogosos (t) 54.150,57 57.645,94 103.013,02

Contexto

Em 2021, conquistamos o selo eureciclo, que atesta nossas práticas de promoção da logística reversa das embalagens de produtos. A Minerva Foods é a primeira empresa do setor de carnes a receber a certificação para todas as linhas comercializadas no Brasil, atestando o nosso comprometimento com a compensação dos impactos ambientais. Ao direcionar para a reciclagem resíduos equivalentes aos seus, em peso e material, a Minerva Foods remunera diretamente cooperativas e operadores de coleta e triagem pelo serviço ambiental prestado. Anualmente, destinamos cerca de 1.500 toneladas de embalagens pós-consumo.
Ademais, adotamos a segregaração de resíduos e destinação correta em todas as operações dos países da América do Sul e estamos implementando ações de promoção da circularidade dentro de nossos processos, como o uso de sebo bovino na produção de biocombustível, de couro para produção de insumo para indústrias, de envoltórios para produção de embutidos, de sebo e de rúmem nas caldeiras para geração de energia e uso de outros subprodutos (farinha de osso, farinha de sangue, etc) para produção de alimentos para pets.
Registramos aumento na quantidade de resíduos gerada devido ao crescimento do volume de produção, ao início das operações na unidade de Bucaramanga (COL) e a retomada da operação na unidade de Canelones (UY).

Destinação de resíduos

GRI 306-1 GRI 306-4 ODS 12
2019 2020 2021
Total de resíduos gerados (toneladas) 72.159,94 87.534,35 103.044,78
Reciclagem (t) 5.111,36 4.244,35 6.060,28
Compostagem (t) 45.264,62 47.366,30 60.959,53
Aterro (t) 21.305,19 34.864,97 36.004,81
Recuperação (t) 477,04 23,00 1,39
Incineração (t) 1,73 1035,73 18,77

Contexto

Em 2021, conquistamos o selo eureciclo, que atesta nossas práticas de promoção da logística reversa das embalagens de produtos. A Minerva Foods é a primeira empresa do setor de carnes a receber a certificação para todas as linhas comercializadas no Brasil, atestando o nosso comprometimento com a compensação dos impactos ambientais. Ao direcionar para a reciclagem resíduos equivalentes aos seus, em peso e material, a Minerva Foods remunera diretamente cooperativas e operadores de coleta e triagem pelo serviço ambiental prestado. Anualmente, destinamos cerca de 1.500 toneladas de embalagens pós-consumo.
Ademais, adotamos a segregaração de resíduos e destinação correta em todas as operações dos países da América do Sul e estamos implementando ações de promoção da circularidade dentro de nossos processos, como o uso de sebo bovino na produção de biocombustível, de couro para produção de insumo para indústrias, de enolvtórios para produção de embutidos, de sebo e de rúmem nas caldeiras para geração de energia e uso de outros subprodutos (farinha de osso, farinha de sangue, etc) para produção de alimentos para pets. São enviados para reciclagem resíduos de papéis e papelões, plásticos incolores, plásticos mistos, recipientes e bombonas, sacos de ráfia, metais ferrosos, metais não ferrosos, pallets e despojos de graxaria; para compostagem são destinados conteúdo ruminal e resíduos orgânicos de refeitório; aos aterros são enviados os resíduos comuns e para incineração os resíduos tóxicos; são destinados para recuperação sebo ácido e baterias.

Geração de resíduos

GRI 306-1 GRI 306-4 ODS 12
2019 2020 2021
Total de resíduos gerados (toneladas) 72.159,94 87.534,35 103.044,78
Resíduos gerados Brasil (toneladas) 48.624,19 41.734,48 19.410,85
Resíduos gerados Latam (toneladas) 23.535,74 45.799,87 83.633,93

Contexto

Em 2021, conquistamos o selo eureciclo, que atesta nossas práticas de promoção da logística reversa das embalagens de produtos. A Minerva Foods é a primeira empresa do setor de carnes a receber a certificação para todas as linhas comercializadas no Brasil, atestando o nosso comprometimento com a compensação dos impactos ambientais. Ao direcionar para a reciclagem resíduos equivalentes aos seus, em peso e material, a Minerva Foods remunera diretamente cooperativas e operadores de coleta e triagem pelo serviço ambiental prestado. Anualmente, destinamos cerca de 1.500 toneladas de embalagens pós-consumo.
Ademais, adotamos a segregaração de resíduos e destinação correta em todas as operações dos países da América do Sul e estamos implementando ações de promoção da circularidade dentro de nossos processos, como o uso de sebo bovino na produção de biocombustível, de couro para produção de insumo para indústrias, de enolvtórios para produção de embutidos, de sebo e de rúmem nas caldeiras para geração de energia e uso de outros subprodutos (farinha de osso, farinha de sangue, etc) para produção de alimentos para pets.
Na divisão Brasil, entre os anos de 2020 e 2021, houve diminuiçãoa acentuada na quantidade de residuos gerados, ocasionada pela interrupção da operação em algumas unidades industriais ao longo do ano. O aumento da geração de resíduos na divisão Latam, ocorreu devido ao início da contabilização do volume de rúmem e ao início da operação da unidade de Bucaramanga (COL) e a retomada da operação da unidade de Canelones (UY).