Projeto convoca musicistas com deficiência para formação de orquestra em SP
Redação
16.03.22

Primeira orquestra parassinfônica do mundo tem inscrições de 20 de março a 11 de abril, audições presenciais em maio e show de estreia em dezembro, no Theatro Municipal de São Paulo. Inscrições no site da OPESP

O levantamento mais recente do IBGE aponta que 8,4% da população brasileira acima de dois anos, o que representa 17,3 milhões de pessoas, tem algum tipo de deficiência. A pesquisa detalha que 7,8 milhões, ou 3,8% da população acima de dois anos, apresenta deficiência física nos membros inferiores, enquanto 2,7% das pessoas tem nos membros superiores. Além disso, 3,4% dos brasileiros possuem deficiência visual; 1,1%, deficiência auditiva.

Foi contrapondo esses números com a representatividade dessa população na música brasileira que Igor Cayres, mestre em atividades culturais e artísticas e produtor cultural, construiu o projeto da OPESP (Orquestra Parassinfônica de São Paulo) para criação, desenvolvimento e promoção da primeira orquestra do mundo constituída apenas por integrantes com deficiência física.

“Nossa missão com a OPESP é promover o empoderamento de músicos e musicistas com deficiência para que essas pessoas possam desempenhar seu efetivo protagonismo na sociedade”, explica Igor Cayres. “Queremos contribuir para a educação de uma sociedade livre de estigmas e preconceitos em torno das pessoas com deficiência. Com isso em vista, fazemos valer a máxima de que a música é a linguagem universal da humanidade e utilizamos essa ferramenta poderosa para contar histórias de vida e amor pela música, sob uma ótica de acolhimento, empatia e, acima de tudo, igualitária sobre as pessoas com deficiência física e motora”, completa.

A chamada pública será feita por meio de edital, e os interessados devem se inscrever no site da OPESP de 20 de março a 11 de abril de 2022. Após uma pré-seleção das inscrições online, até 90 pessoas irão para a fase de audições presenciais. Desse grupo, 30 serão selecionados para quatro meses de ensaios sob regência do maestro Roberto Tibiriçá – titular da cadeira de nº 5 da Academia Brasileira de Música e Membro Honorário da Academia Nacional de Música. Por fim, um grande concerto será realizado no Theatro Municipal de São Paulo com o grupo.

Candidatos

Está apta a se inscrever qualquer pessoa entre 18 e 48 anos, com deficiência física ou motora comprovada. É necessário também ter conhecimento musical em uma das classes de instrumentos abaixo:

  • Cordas (violinos, violas, violoncelos, contrabaixos);
  • Madeiras (flautas, oboés, clarinetes, fagotes);
  • Metais (trompetes, trompas);
  • Instrumentos de percussão (tímpanos).

Avaliadores

O corpo de jurados será composto por professores e coordenadores pedagógicos educacionais da OPESP:

  • Horácio Schaefer (spalla das Violas da Osesp e violista do Quarteto Amazônia)
  • Davi Graton (professor da Academia da Osesp, integrante do Quarteto Osesp e fundador do Trio São Paulo)
  • Rogério Wolf (professor na Escola Superior de Música da Faculdade Cantareira, Escola Municipal de Música de São Paulo e Instituto Baccarelli)
  • Joel Gisiger (desenvolve atividade pedagógica na Escola de Música do Estado de São Paulo Tom Jobim, Instituto Baccarelli, Faculdade Cantareira, Conservatório de Tatuí e Academia da Osesp)
  • Fernando Dissenha (Trompete-Solo da Osesp)
  • Elizabeth Del Grande (professora da Faculdade Cantareira, da Academia da Osesp e da Escola Municipal de Música de São Paulo, de cujo grupo de percussão é diretora. É timpanista solo e responsável pelo naipe de percussão da Osesp)
  • Ana Valéria Poles (professora na Faculdade Cantareira e da Academia de Música da Osesp e Primeira Contrabaixista da Osesp)
  • Sérgio Burgani – clarinetista da Osesp e membro dos grupos Percorso Ensemble e Sujeito a Guincho.
  • Rodrigo Andrade – violoncelista da Osesp, membro do Quarteto Romanov e professor do Instituto Baccarelli.
  • Nikolay Genov – Integrante da Osesp, professor da Escola de Música do Estado de São Paulo Emesp Tom Jobim e da Escola Municipal de Música de São Paulo, e integra o Quinteto de Sopros Camargo Guarnieri, a Camerata Aberta e o Percorso Ensemble.
  • Darcio Gianelli – Trombonista Solista da Osesp e professor da Academia de Música da Osesp.
  • Romeu Rabelo – Fagotista e contrafagotista da Osesp e integrante do Trio Madeiras.

A OPESP é uma realização da produtora ProArte, por meio da Lei de Incentivo à Cultura, com patrocínio da Janssen, Vale, Minerva Foods, Marisa, Syngenta, Drogasil, Banco Alfa e apoio do Instituto Alfa de Cultura.

Serviço

Orquestra Parassinfônica de São Paulo

Período de inscrições: 20 de março a 11 de abril.

Site: OPESP

Fonte: Guia São Paulo 24 Horas